O roteiro que você irá ler serve para muitos tipos de apresentação.
As dicas servem para uma apresentação de projeto, uma reunião corporativa, uma palestra ou aula.
Você poderá se preparar muito melhor dando atenção a alguns itens básicos.

Para preparar e apresentar uma aula, você pode seguir algumas regras fundamentais.

Os elementos que compõem uma boa aula são:

1- Estratégia

2- Roteiro

3- Coleta de material

4- Preparação da aula/apresentação

5- Postura e composição na apresentação

6- Humor :D !!

 



1- Estratégia

 

Talvez a etapa mais importante do planejamento de uma aula.
É neste ponto que sua se decide se onde sua jornada levará você e seus alunos – se todos ficarão contentes com a viagem e o destino final.

Para começar a traçar uma estratégia para sua aula, inicie respondendo a estas questões:

- qual o tipo e perfil do seu público
- qual o estado de conhecimento do seu público no momento inicial (T=0) e para onde deseja levá-lo ao final da apresentação?
- De toda a apresentação, qual a pergunta ou elemento motivador que deseja que perdure e que o público leve para casa?

Procure melhorar continuamente sua estratégia, antes e depois da apresentação.
Reflita sempre sobre essas questões acima, e analise, sob o ponto de vista dos alunos, qual o elemento que “incendeia” a imaginação, motivação e curiosidade sobre o tema. Assista na TV e veja na internet o que pode ser polêmico ou atual sobre o tema, e reflita como esses ingredientes podem ativar sua aula. Fique ligado.

Artigo publicado no site www.outrojeito.com.br.
2- Roteiro

Se a primeira parte foi o planejamento estratégico, o roteiro tem a ver com as táticas. Será o mapa com o caminho para chegar até o objetivo final da aula, e os elementos necessários durante sua apresentação.

Uma sugestão é começar sua aula com um assunto que não tenha a ver com a aula em si, mas com alguma atualidade intimamente relacionada com cada aluno individualmente.
De modo geral, em minhas apresentações, gosto de começar falando sobre alguma relação com mercado competitivo, conhecimento como diferencial, campo de trabalho, tudo isso associado à importância do tema da aula e como isso deve ser valorizado pelo aluno.
Essa é uma tática interessante, pois parto do princípio de que, como domino o assunto, eu sei da importância do meu tema mas o aluno nem sempre sabe (e vai dormir na aula). Por isso, por mais distante que ele esteja do tema da aula, coloco logo de início sob a perspectiva do mercado, e aí sim trago o aluno para dentro da aula.

Por exemplo, em minhas aulas de tecnologia para profissionais da medicina, eu inicio minha apresentação com uma matéria muito interessante da Folha de São Paulo. Mostro o texto, com uma pesquisa da UFRJ que relata o aumento de produtividade de diversos setores no Brasil na década de 90 (agronegócios, indústria, manufatura, saúde, etc). Bela notícia, não?
Em seguida mostro a manchete-título da matéria: “Tecnologia cortou 10,8 milhões de vagas”(!).
Isso dá o tempero inicial e a discussão sobre a importância da tecnologia, aumentando nossa produtividade mas ao mesmo tempo mostrando um mercado muito mais competitivo. Por essa brecha a aula ganha importância e o assunto de informática começa a se desenrolar como ferramenta importante do profissional (decifra-me ou devoro- te!).

E falando nessa aula, veja que interessante: no meu planejamento estratégico qual seria o objetivo para esses alunos?
Qual seria o tema de reflexão que eles levariam para casa?

Como médicos e administradores em saúde, planejei que minha missão seria inspirá-los a se aprofundar mais em tecnologia após a aula. Se eu fosse ensiná-los sobre como funcionam os softwares, qual computador é bom ou outras questões pontuais, não estaria realmente ajudando eles. Estaria “entregando o peixe na mão” apenas. Também não “ensino a pescar”.
O mais importante, pensei, era mostrar a importância da tecnologia e que devem entrar num processo de aprendizado contínuo nesta área para terem vantagem competitiva sobre a concorrência. Para minha satisfação, recebo muito retorno dos alunos falando sobre como perceberam a necessidade de estarem mergulhando neste mundo de tecnologia e se aprofundarem mais, inclusive muitos se matriculando em escolas de informática de diversos níveis subsequentemente.

Voltando à sua preparação do roteiro: coloque os sub-temas que comporão sua aulas em termos de começo, meio e fim, baseado na sua estratégia.
a- Começo:
- quais sub-temas comporão?
- Qual a polêmica ou discussão inicial?
- Procure uma questão atual e muito próxima de sua platéia para iniciar a conversa.

b- Meio
- sua aula em si

c- Fim
- ressalte os benefícios do conhecimento passado em aula, e como poderão atualizar-se e aprofundar-se no tema.
- Pergunte aos alunos como imaginavam o tema antes da aula em como a percepção foi mudada. Também como aplicarão os novos conhecimentos. Faça-os discutirem entre si sobre isso.

3- Coleta de material

Comece a coletar todo o material da aula conforme seu roteiro e estratégia.
Matéria de revistas, jornais, publicações científicas e artigos. Enriqueça sua aula com imagens e vídeos.
- quais os elementos multimídia que comporão sua aula (imagens, vídeos, sites, etc); guarde sempre a referência de onde obteve o material.

4- Preparação da aula/apresentação

Como a grande maioria das aulas é ministrada em Powerpoint, é importante destacarmos algumas dicas essenciais.

- Mantenha o texto curto em cada slide: coloque alguns tópicos sobre o assunto, mas não um texto completo que precise ser lido. O importante da apresentação é o que você tem a falar, e não o que está escrito na tela. O Powerpoint é um apoio da sua aula.

- Nunca use animações! Se muito, use muito pouco se for estritamente necessário para entendimento do contexto!

- Não é má idéia esta regra: máximo de 6 palavras por linha, máximo de 6 linhas por slide

- Fundo escuro com letras claras. A melhor combinação é fundo azul marinho e letras brancas. A segunda melhor é fundo preto com letras amarelas. Nunca use letras vermelhas, que são difíceis de visualizar.

- De preferência use Fontes Helvetica ou Arial (Times New Roman pode ser interessante no seu monitor, mas numa projeção fica borrado para quem está a mais de 6 metros de distância). Use tamanho de fonte entre 28 a 32.

- Não use somente maiúsculas.

- Em determinadas apresentações, coloque seu e-mail no rodapé de cada slide. Isso é útil em comgressos, quando os alunos poderão contactá-lo posteriormente.

- O Powerpoint pode apresentar a numeração do slide no canto inferior direito. Uma dica é, no Slide-mestre, colocar um “/xx” neste campo, onde “xx” é o número final de slides que compõem sua apresentação. Desse modo, na aula, o aluno verá no canto da tela “1/76” e em seguida “2/76” e sucessivamente. Terá idéia então de quantos slides tem sua aula e a quantas anda a progressão. É importante para você também, que vai se situar melhor no seu andamento.

- Lembre-se: no Powerpoint, menos é mais!

5- Postura e composição na apresentação

- chegue cedo e verifique se sua apresentação está ok no local

- Sempre fale voltado para o público

- Se algum aluno se manifestar espontaneamente na aula, tanto melhor. Isso logo destaca alguém interessado e disposto a participar. Explore-o durante a apresentação. Pergunte o nome dele, sua opinião ao longo dos temas em alguns casos. Brinque com ele e estará divertindo com a sala inteira!

- ande na sala sempre em alguma ocasiões da apresentação, se possível.

- evite maneirismos. Tipo começar sempre uma frase com “Bom,…”, “Hãããã…”. É dífícil, mas policie-se e seja persistente.

6- Por fim, Humor!

Apesar do nervosismo e insegurança em algumas apresentações, o humor pode quebrar o gelo e descontrair a platéia e, por consequência, o palestrante também.
Se for esse o seu caso, inclua no seu roteiro um slide no começo (não logo nos primeiros slides) uma imagem bem humorada (na internet tem muita coisa, você sabe…) que possa ser, mesmo que indiretamente, relacionada com sua aula. Colocar um pouco de humor no meio da apresentação é um modo de tornar a aula mais agradável e relaxar em alguns momentos.
A vantagem é que você não precisa ser humorista – uma imagem vale mais que mil palavras, então um cartum ou uma foto bem humorada levanta a moral da sessão.

Como em qualquer situação social, o humor não deve ser ofensivo. Especialmente deve ser inteligente, perspicaz, espirituoso, respeitoso, engraçado, refinado, sagaz e politicamente correto. Fácil, não? (ISSO é para ser uma piada também…).








One Response to “Roteiro Simplificado para uma Apresentação”  

  1. 1 Goreti Prota

    Foi muito bom ler estas dicas para palestrantes,professores como é o meu caso,realmente os 20 minutos iniciais são primordiais…
    “Quem ensina aprende,quem aprende ensina…Paulo Freire”

Leave a Reply